WhatsApp
(11) 987-135-444

12 de junho de 2014

O "imagina na Copa" começa hoje. Para desespero de muitos.


por Sylvio Micelli

Logo mais às 17 horas, na Arena Corinthians, no bairro de Itaquera, zona leste de São Paulo, Brasil e Croácia entram em campo para dar início à disputa da 20ª edição da Copa do Mundo de Futebol promovida pela Fifa.

Não é uma Copa do Mundo normal. Será a primeira no continente americano após um hiato de 20 anos, desde os Estados Unidos, a disputa terá como sede o país maior campeão mundial de futebol, todos os oito campeões do mundo estarão presentes e ao menos um deles já será eliminado na primeira fase e a competição será disputada sobre um maniqueísmo político e cego que concorreu para que se duvidasse de que o Brasil, mesmo com todos os problemas tão sabidos, tivesse capacidade para realizar um evento de tamanha magnitude.

E teve.

Quem torceu contra, ainda que sob toda a discussão da corrupção e do desvio de verba, ainda que tenha torcido porque um bairro da periferia paulistana tornar-se-á globalizado, ainda que tenha tido inúmeros motivos, já está derrotado.

O "imagina na Copa", bordão irônico utilizado para atestar nossa incompetência sobre nossa capacidade irá para o lixo, junto a todos os discursos piegas que cercaram a competição.

O Brasil tem algo engraçado para não dizer trágico. Torce contra o próprio país, porque de repente seus candidatos não são eleitos e, ao invés de torcerem pelo país e ganhar a disputa na ideologia e nas urnas, opta por ser o velho "Narciso às avessas, que cospe no próprio espelho", como imortalizou Nelson Rodrigues. Eu mesmo, raramente tive meus candidatos eleitos, até porque sempre busquei projetos de governo, mas apenas encontrei projetos de poder.

Sempre fui favorável à realização do evento e travei muitas discussões sobre isso, porque coloca o Brasil num outro patamar econômico, social, a médio e longo prazos. Se você também torceu a favor, transfira sua emoção para o campo. E se o Brasil não for campeão, saiba que isso faz parte do jogo, ainda que os contrários venham ironizar a desclassificação do país, quando e se ocorrer. E, claro, eles farão.

Caso você tenha torcido contra o evento o que repito, é plenamente democrático, permaneça contra. Seja coerente. Não adianta agora, quando a competição vai começar, querer pegar carona na festa. Ela não é para você, seja o Brasil campeão ou não. E nada desse papo torto de que "agora é outra coisa". Como disse acima, esta Copa do Mundo não será "a Copa das copas" como diz a propaganda estatal, mas seria muito fácil se todos tivessem apoiado o evento e só não o fizeram, via de regra, por questões comezinhas da política partidária.

Permaneça com o discurso da tragédia e que o país está triste. Continue falando do absurdo de construir um estádio decente na capital do país ou no norte do Brasil, ainda que o futebol brasiliense e amazonense seja fraco. De preferência, torça com todas as suas forças para que o Brasil perca os três jogos da primeira fase e já seja eliminado de cara. Faça manifestações, coloque a bandeira do Brasil de cabeça para baixo ou nem pegue uma bandeira do Brasil. Use no seu perfil das redes sociais outras bandeiras e escudos que não sejam do seu país.

Nós vamos nos encontrar na urna em outubro e aí eu quero ver se o discurso casa com ação e que todos os nossos males históricos e endêmicos, sejam plenamente resolvidos, com ou sem Copa.

Enfim, #vaitercopasim. As seleções já estão aí e para desespero de muita gente, inclusive da mídia, a recepção calorosa do povo brasileiro fez derreter até o gelo dos jogadores alemães.


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)