WhatsApp
(11) 987-135-444

20 de junho de 2014

E o mundo se rende à Costa Rica

Bryan Ruiz cabeceia para classificar a Costa Rica
Clique na imagem e veja o gol - Reprodução

por Sylvio Micelli


No séc. XVII, o filósofo e físico francês, Blaise Pascal, cunhou uma das mais importantes frases que ficarão de legado à humanidade. Trata-se da histórica: "O coração tem suas razões, que a própria razão desconhece".

Hoje, uso deste ensinamento com o intuito de parafraseá-lo... O futebol tem razões que a própria razão desconhece.

A Costa Rica, minúsculo país espremido na América Central, já deixa o registro histórico de seu nome nas copas do mundo. Se no primeiro jogo contra o Uruguai, a vitória por 3 a 1 revestia-se de uma "zebra", um resultado atípico, a vitória conquistada há pouco diante da Itália, por 1 a 0, prova que os costarriquenhos vieram fazer história, conforme as faixas exibidas em campo.

No chamado, grupo da morte, ladeada por três seleções campeãs do mundo - Inglaterra, Itália e Uruguai -, a Costa Rica não entrava nas estatísticas. Ela estava fadada a ser o "saco de pancadas" do grupo que, obrigatoriamente, já teria uma grande seleção eliminada na primeira fase.

Pois é. Serão duas seleções campeãs do mundo eliminadas no mesmo grupo. A Inglaterra já foi. Com duas derrotas, o time da rainha nada mais pode fazer, ainda que vença justamente os costarriquenhos na última partida. Uruguai e Itália se matarão pela segunda vaga, porque a Costa Rica já está classificada, motivo que, certamente, entrará para as histórias do futebol.

A partida realizada no Recife e encerrada há pouco, mostrou um jogo equilibrado no seu início, mesmo com forte calor pernambucano. Após a vitória diante do Uruguai, a Costa Rica demonstrou auto-confiança e enfrentou a Itália de igual para igual.

Aos poucos, o time da América Central começou a dominar o meio de campo. A Itália se limitava aos cruzamentos de Pirlo, mais uma vez o melhor da Azzurra e Balotelli não se entendia com a bola e quando conseguiu acertá-la, encontrou o grande goleiro Navas, um dos melhores arqueiros deste mundial.

Ao dominar o meio de campo, a Costa Rica começou a levar perigo à meta italiana, principalmente com Campbell, seu melhor jogador, que estava sendo muito marcado pela defesa italiana.

No final do primeiro tempo Campbell dominou uma bola mal recuada da zaga italiana, invadiu a área e foi derrubado por Chiellini, em penalidade não marcada pelo árbitro.

No lance seguinte, porém, a ousadia costarriquenha foi recompensada. Junior Díaz, o destaque da partida, fez cruzamento preciso para Bryan Ruiz cabecear, sem chances para Buffon. Pela segunda vez na Copa apareceu o gol tecnológico, para demonstrar que a bola de Costa Rica entrou. Mas nem precisava. A olho nu, mesmo, claramente percebe-se a bola ultrapassar a linha final, após o toque no travessão.

O segundo tempo se resumiu a um jogo de ataque italiano, contra a defesa costarriquenha. A Azzurra pecou nas finalizações poucas que teve e o time centro-americano, com os nervos no lugar, dominou o meio de campo para cozinhar o jogo até o final e fazer história.

A última rodada do grupo D ocorre na terça, dia 24. A Costa Rica precisa apenas de um empate diante da Inglaterra, já desclassificada, para ser líder do grupo da morte. O jogo acontece às 13 horas em Belo Horizonte. No mesmo dia e horário, em Natal, Uruguai e Itália farão um jogo de vida ou morte para saber quem permanece na copa brasileira.


O recorde de Buffon

Apesar da derrota, o goleiro italiano Gianluigi Buffon está, definitivamente, com o nome consagrado na história das copas do mundo. Na tarde desta sexta, Buffon iniciou sua quinta copa do mundo. Arqueiro italiano desde a Copa da França em 1998, ele se une a outros dois jogadores que atingiram a marca. São eles: o goleiro mexicano Antonio Carbajal (de 1950 até 1966) e o meio-campista alemão Lothar Matthaus (de1982 a 1998).

Aos 36 anos, Buffon pode muito bem se candidatar a disputar a Copa de 2018, que será realizada na Rússia. Buffon teve sua carreira toda realizada na Itália e jogou apenas por dois clubes na condição de profissional: o Parma, entre 1995 e 2001 e a Juventus de 2001 até aqui. O arqueiro está na seleção italiana desde 1997 e foi campeão do mundo em 2006.

Após a segunda rodada, o Grupo D tem a seguinte classificação:

1. Costa Rica - 6 pts - 2V 0E 0D - 4GP 1GC - 3SG
2. Itália - 3 pts - 1V 0E 1D - 2GP 2GC - 0SG
3. Uruguai - 3 pts - 1V 0E 1D - 3GP 4GC - -1SG
4. Inglaterra - 0 pt - 0V 0E 2D - 2GP 4GC - -2SG

A Costa Rica já está classificada e a Inglaterra, eliminada. Itália e Uruguai duelam pela segunda vaga. A Itália, por saldo de gols, depende de um empate, "apenas".

FICHA TÉCNICA - JOGO 24

ITÁLIA 0 X 1 COSTA RICA
Copa do Mundo Brasil 2014 - Fase de Grupos - 2ª rodada
Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE)
Data: 20 de junho de 2014, 13h

Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes: Carlos Astroza (CHI) e Sergio Roman (CHI)
Cartões amarelos: Balotelli (Itália); Cubero (Costa Rica)

GOL: COSTA RICA: Bryan Ruiz aos 44 minutos do primeiro tempo

ITÁLIA: Buffon; Abate, Chiellini, Barzagli e Darmian; De Rossi, Thiago Motta (Cassano), Pirlo, Marchisio (Cerci) e Candreva (Insigne); Balotelli
Técnico: Cesare Prandelli

COSTA RICA: Navas; Umaña, Duarte e Giancarlo González; Gamboa, Borges, Tejeda (Cubero), Crístian Bolaños, Junior Díaz e Bryan Ruiz (Brenes); Joel Campbell (Ureña)
Técnico: Jorge Luís Pinto

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)