WhatsApp
(11) 987-135-444

3 de novembro de 2013

Ficou difícil defender a permanência de Tite no Corinthians

Reprodução

por Sylvio Micelli

Quero deixar claro que sou totalmente contrário à guilhotina promovida aos técnicos, cujos times não tem um bom desempenho, quaisquer que sejam as competições.

Tite, para mim, é o melhor técnico do país nos últimos três anos e não a toa foi campeão brasileiro, sulamericano, mundial, paulista e da Recopa e seria, por que não, merecedor até de uma vaga na seleção brasileira. Aliás, devo ressaltar aqui que ele queimou minha língua. Quando retornou ao Corinthians, três anos atrás, ainda mais com o episódio Tolima, não pensei que fosse chegar tão longe e conquistar tudo o que conquistou e que estará eternamente na memória e no coração da Fiel Torcida.

Porém, ele dá sinal de desgaste. Parece não ter mais o comando do time e acaba por colocar os pés pelas mãos. Há muito jogadores que devem ser dispensados no final do ano e começo a achar que Tite deveria buscar novos ares.

No jogo de hoje (3) contra o Vitória, em Salvador, o Corinthians foi muito superior à equipe baiana. Não foi algo espetacular, mas fez um primeiro tempo merecedor de uma vantagem, que se transformaria no gol de Guilherme, logo no começo do segundo tempo.

Pouco depois, porém, o Vitória empatou com Dinei, numa bela jogada do time baiano, mas com falhas de marcação da zaga, que até então era intransponível.

Mesmo assim, o Timão tinha a oportunidade de manter a superioridade e, quem sabe, vencer uma partida fora de casa, algo que não ocorre há mais de três meses. Tite errou. Sacou Romarinho, que era o melhor atleta em campo e colocou Alexandre Pato para apresentar mais do mesmo, ou seja, muito pouco.

Repito. Há problemas sérios com o elenco, sem dúvida. Mas Tite, infelizmente, acabou sucumbindo à sua própria falta de inovação e àquela imensa vontade de fechar o time para arrancar mais um empate.

Os riscos que o Corinthians tem, em relação a um possível rebaixamento, são remotos, mas existem. Restam seis rodadas apenas e em metade delas, o time será colocado à prova contra equipes mais desesperadas que nós.

Temos o Fluminense, em casa, no próximo final de semana. Depois o Coritiba fora e o Vasco em casa. As três próximas rodadas são fundamentais para espantar qualquer possibilidade de descenço ou para colocar a equipe na linha de tiro. Os outros três jogos são contra o Flamengo, fora, que desejará devolver a goleada sofrida no primeiro turno; o Internacional em casa e o Náutico, já rebaixado, mas leve como uma pluma.

O Corinthians ainda chega à incômoda marca de 15 empates, pior que 2007, ano do nosso fatídico rebaixamento. Continua com a melhor defesa da competição, mas é o segundo pior ataque.

E aí, Tite, como é que vai ser? Que dureza, viu?


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)