WhatsApp
(11) 987-135-444

7 de fevereiro de 2013

Efemérides Culturais by @micelli - 6 de fevereiro

Reprodução
Já virou a folhinha, já é dia 7, mas disfarça e vamos lembrar do dia 6 de fevereiro. Há 51 anos partia para os céus, um dos maiores pintores do Brasil e do mundo. Trata-se de Cândido Portinari que pintou mais de 5 mil obras, mas consagrou-se com os painéis que formam "Guerra e Paz", que está na ONU. Enfim, um dos grandes gênios nacionais.

Há dois anos faleceu o grande guitarrista Gary Moore. Seguiu e tocou com muita gente boa e consagrou a balada mega-hit "Still Got the Blues" do seu álbum homônimo de 1990. Belíssima composição, bluseira no talo.


Há 15 anos, em 1998, falecia o também cantor Falco. Nascido na Áustria Johann (Hans) Hölzel, Falco ganhou as paradas mundiais em 1982 com "Der Kommissar" e repetiu a dose três anos depois com "Rock Me Amadeus". Morreu jovem, aos 40 anos, num acidente de carro.


Homenageados os mortos, vamos aos vivos. Muita gente boa aniversaria neste 6 de fevereiro, todos cantores. Comecemos com Rick Astley, astro pop do final dos anos 80. Muita gente torce o nariz, mas fez muito passinho de dança imitando o cantor britânico, que ganhou o mundo em 1987 com apenas 21 anos, com "Never Gonna Give You Up". Sua voz grave deu sequência a muitos outros hits que seguiram o mesmo sucesso nas pistas de dança de todo o mundo.


Ops. Lapso meu. Se vivo estivesse, mestre Bob Marley faria 68 anos. Da Jamaica para o mundo, Marley é o principal difusor do reggae de todos os tempos. Composições críticas davam voz à liberdade e às questões sociais de seu país. Marley falava de religião e luta social, fazendo com que o mundo olhasse para os países (esquecidos) da América Central. Um gênio, um desbravador, mas que infelizmente perdeu a batalha contra o câncer, em 1981, morrendo aos 36 anos. A minha preferida.


Controvertido, polêmico, mala, exibido... Enfim, não há adjetivos para classificar W. Axl Rose, líder do Guns N' Roses, que completa 51 anos hoje. Seja como for, Axl Rose foi um divisor de águas na mesmice da música americana no final dos anos 80. Deixo aqui, para lembrança do amigo/irmão Sérgio Pires, o vídeo do show do Rock in Rio II, em 20 de janeiro de 1991, que assistimos no Estádio Mário Filho, o Maracanã, no Rio de Janeiro. Algo em torno de 160 mil pessoas no maior estádio do mundo. Indescritível, inesquecível...


Para finalizar, parabenizemos um jovem senhor de 74 anos, mas um eterno menino quando está no palco e dá entrevistas... Estou falando do pai do rap nacional... sim, pai do rap nacional, grande Jair Rodrigues. De Igarapava para o Brasil e o mundo, com dois filhos maravilhosos, Jair tem décadas de bons serviços prestados em nome do samba e da boa e verdadeira música popular brasileira. "Disparada" é um marco na MPB por meio de uma antológica apresentação no Festival da Record em 1966. Parabéns!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)