WhatsApp
(11) 987-135-444

25 de novembro de 2012

Tears for Fears: anos 80 na veia, sem lágrimas nem medos

Show do Tears for Fears - 22/11/2012
Clique na foto acima e veja mais fotos do show!

por Sylvio Micelli

Na última quinta (22), a banda inglesa Tears for Fears fez única apresentação em São Paulo no Espaço das Américas. Formado em 1981, o duo composto por Roland Orzabal e Curt Smith sempre apostou suas fichas num pop melódico de qualidade, que à época contrastava-se ao glamour, cores e festas proporcionados pela geração new wave. Mais intimista, o Tears for Fears sempre dosou o pop na medida certa, mesclando baterias e guitarras bem levadas a baladas românticas, usando muito bem as vozes de Orzabal e Smith de acordo com a sonoridade pretendida.

O que se pode ver no show, para algumas centenas de fãs remanecentes da época e jovens da geração pós-Napster, foi o conjunto de muitos hits que a banda colecionou em três décadas de trajetória intercalados com material menos conhecido, cuja sonoridade muitas vezes remetia ao jazz fusion mágico de Steely Dan. Simpatissíssimo, Orzabal arriscou alguns diálogos com o público, além do famoso "Obrigado, Sao Paolo", que estamos acostumados a ouvir.

Hits não faltaram. O show, iniciado britânicamente no horário, começou com sons de orquestras medievais que mais parecia a abertura de um show do Evanescence. De repente, eis que surge Curt Smith com a clássica "Everybody Wants To Rule The World" do álbum de maior sucesso do grupo "Songs From The Big Chair" (1985), para dominar a plateia no primeiro minuto de jogo. Em seguida, a banda toca a pouco conhecida "Secret World" do último álbum de estúdio "Everybody Loves a Happy Ending" (2004) que marcou a união de seus dois membros após um lapso de 15 anos.

"Sowing the Seeds of Love", principal faixa do álbum "Seeds of Love" (1989) faz o público dançar e é emendada à belíssima "Change" do primeiro álbum do grupo "The Hurting" (1983). A dupla, com uma bela banda de apoio, toca duas faixas do mesmo álbum na sequência: "Call Me Mellow" e a faixa-título de "Everybody Loves a Happy Ending".

"Mad World" e "Memories Fade", do primeiro álbum, trazem de volta o clima nostálgico. Na sequência vem "Closest Thing to Heaven" do trabalho de 2004 e uma jazzcover de "Billie Jean", megacanção de Michael Jackson. "Floating Down the River", que só tem uma versão ao vivo do álbum "Secret World (Live In Paris - 2005)" vem acompanhada do hit "Advice for the Young at Heart" do trabalho de 1989.

Carina Round, que fez um pocket-show de abertura da banda, divide os vocais com Orzabal e Smith na balada "Badman's Song", também do álbum de 1989.

Daí até o final do show, só sucessos. Começou com a maravilhosa "Pale Shelter" do "The Hurting" (minha preferida da banda), passou pelo megahit dos primórdios da MTV tupiniquim, "Break It Down Again" do primeiro álbum pós-separação do duo, "Elemental" (1993) e "encerrou" com a mágica "Head Over Heels" do "Songs from the Big Chair".

No "bis", com bexigas verdes e amarelas, rolou a super balada "Woman in Chains" do "Seeds of Love", mais uma vez com os vocais de Carina Round e tudo acabou com "Shout", até numa versão mais light, mas que dispensa comentários. Uma das mais famosas músicas dos anos 80, estará eternamente em coletâneas da época, seja no K-7 (quem se lembra?), CD, MP3, iTunes ou o formato que quiserem...

Enfim, os anos 80 estão mais vivos do que nunca. Sem lágrimas nem medos.

Setlist by Setlist.Fm

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)