WhatsApp
(11) 987-135-444

29 de junho de 2012

Boca 1 X 1 Corinthians. Agora só falta um jogo...


por Sylvio Micelli

Refeito da emoção de quarta à noite, informo aos amigos que continuo sem "twittar" nem "facebookar" nada durante os jogos do Corinthians para não perder meu tempo com pessoas que não merecem que eu perca meu tempo. Há muito torcedor de outro time que leva a rivalidade com o fígado e eu tô fora.

Sobre o primeiro jogo da final da Copa Santander Libertadores, quando o Timão segurou o Boca Juniors em plena La Bombonera, devo registrar três coisas:

1. O Corinthians jogou muita bola, taticamente falando. Muita mesmo. Não é fácil segurar os caras naquele "inferno", numa final de Libertadores. Coisa pra macho. Sem firula, sem frescura. Leandro Castan e Paulinho foram perfeitos. Ressalte-se que se trata de uma final. Não é jogo intermediário. Então não dá para comparar com qualquer outro jogo que não seja final de campeonato;

Frieza e categoria! Seu nome: Romarinho - Foto: EFE
2. Romarinho, antes de mais nada, é um predestinado. Claro que ele sabe jogar bola e já havia demonstrado isso no Bragantino e no Rio Branco. Mas o moleque em dois jogos, contra Palmeiras no Campeonato Brasileiro e contra o Boca no caldeirão, marcou três gols. E três belos gols. Esse parece ser o centroavante que o Corinthians procura desde Viola. Aquele que tem faro de gol. E vale registrar que o gol contra os argentinos foi resultado de uma brilhante jogada na triangulação entre Paulinho, Emerson até o complemento de Romarinho;

3. São Jorge está de plantão. Como sempre esteve. Ele deu uma "pisadinha" no gol de Roncaglia, que até merecia ter sido expulso, mas salvou o gol de Cvitanichi.

Teve gente, de outros times claro, que viu até outro jogo. Viram por exemplo "que o Boca massacrou" e que o resultado foi "injusto". O Boca massacrou tanto que a fantástica e fanática torcida bocanera se calou no final do primeiro tempo. E se calou ao final do jogo.

A rigor, no primeiro tempo, foi uma chance para cada lado com Paulinho no começo do jogo e com um belo voleio de Santigo Silva que explodiu em Alessandro.

Na etapa final, além dos gols e da bola na trave de Cvitanichi no final, Riquelme deu dois chutes, um por cima e outro defendido por Cássio. Massacre? Domínio? Vareio? Não houve. Tanto que nem fiquei tão nervoso, mesmo quando sofremos o gol numa falha de marcação.

Noves fora nada, agora é a finalíssima. E a quarta-feira vai demorar um século para chegar.


BOCA JUNIORS-ARG 1 X 1 CORINTHIANS

Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina) 
Data: 27 de junho de 2012, quarta-feira 
Horário: 21h50 (de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses (CHI) 
Assistentes: Francisco Mondria (CHI) e Carlos Astroza (CHI) 
Cartões Amarelos: Roncaglia e Riquelme (Boca Juniors); Chicão (Corinthians)

GOLS:
BOCA JUNIORS: Roncaglia, aos 27 minutos do segundo tempo
CORINTHIANS: Romarinho, aos 40 minutos do segundo tempo

BOCA JUNIORS: Orion; Roncaglia, Caruzzo, Schiavi e Clemente Rodríguez; Ledesma (Rivero), Somoza, Erviti e Riquelme; Pablo Mouche (Cvitanich) e Santiago Silva (Viatri) 
Técnico: Julio César Falcioni

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Paulinho, Ralf e Alex (Wallace); Jorge Henrique (Liedson), Emerson e Danilo (Romarinho) 
Técnico: Tite

Ficha Técnica by Gazeta Esportiva.Net

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)