WhatsApp
(11) 987-135-444

18 de abril de 2012

Servidores de Bauru discutem Perícias Médicas e Iamspe

Audiência Pública DPME e Iamspe - 12/04/2012

por Sylvio Micelli / CCM Iamspe (*)

O conjunto dos servidores públicos de Bauru (326 km da Capital) participou, no último dia 12, de audiência pública realizada na Câmara Municipal da cidade. O evento, que teve a iniciativa do vereador Fabiano Mariano (PDT), discutiu a precariedade do atendimento de perícias médicas promovido pelo Departamento de Perícias Médicas do Estado (DPME) aos servidores de Bauru e região, além de analisar a proposta de alteração do prédio aonde funciona o Centro de Atendimento Médico-Ambulatorial (Ceama) na cidade, que pertence ao Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual.

A reunião pública teve cerca de 50 representantes do funcionalismo, vindo de diversas entidades como o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), a Associação dos Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo (Apampesp), Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde), Centro do Professorado Paulista (CPP), Sindicato dos Servidores Públicos do Sistema Penitenciário Paulista (Sindcop), entre outros.

Os servidores de Bauru reclamam a imediata contratação de peritos médicos para que as perícias voltem a ser realizadas na cidade. Muitos dos presentes se queixaram do custo e dos transtornos que representa o deslocamento até São Paulo para realização das perícias.

Além da falta de peritos médicos, os servidores queixaram-se sobre a possível transferência do atendimento do Ceama de Bauru para uma sala localizada no Edifício Comercial Garden, próximo à Praça da Paz. Os representantes são contra a mudança porque consideram o prédio inadequado para o atendimento médico.

Segundo Idenilde Almeida Conceição, do Sindicato Apeoesp e presidente da Comissão Regional de Bauru da Comissão Consultiva Mista do Iamspe (CCM), a possível transferência do Ceama é ruim. Para ela trata-se de uma avenida larga, o que dificultaria pessoas doentes atravessarem. Ela apontou, ainda, pela falta de estacionamento no local, além do pagamento de aluguel, sendo que o Ceama nada paga hoje por estar num prédio do governo.

O vice-presidente da CCM local, Carlos Alberto Romacho, que pertence ao Sindcop, também se mostrou contrário à mudança do prédio do Ceama. Ele ressalta que o local é central e de fácil acesso a todos. De acordo com representantes dos professores a reforma do Ceama, custaria entre R$ 700 mil e R$ 800 mil reais, mas o Iamspe, não estaria disposto a arcar com estes investimentos num prédio que pertence à Secretaria da Educação.

O presidente estadual da CCM Iamspe e vice-presidente da Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (Assetj), Sylvio Micelli também esteve na audiência. Informou aos presentes que, recentemente, foi publicada a contratação de 39 peritos médicos, mas de caráter temporário. Reiterou que se o governo contribuísse com sua cota-parte de 2% junto ao Iamspe, haveria recursos para a reforma e adequação do prédio do Ceama em Bauru.

A audiência também foi prestigiada pelos vereadores Roque Ferreira (PT), Fernando Mantovani (PSDB), Chiara Ranieri Bassetto (DEM) e José Roberto Martins Segalla (DEM).

(*) Com informações de Adão Nereu da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Bauru e do Sindcop

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Os textos são de autoria do Jornalista Sylvio Micelli. Publicação autorizada com a citação da fonte. Tecnologia do Blogger.

Labels

Funcionalismo (406) 2013 (344) Jornalismo e Nada Mais (294) Política (168) Assetj (166) Corinthians (159) Fespesp (141) 2014 (127) CNSP (110) Iamspe (89) CCM Iamspe (82) 2015 (23)